"BIOGRAFIA"

"Maria José Lacerda"

 

Maria José Lacerda, nasceu a 3 de Fevereiro, numa pequena aldeia Limões, no concelho de Ribeira de Pena, Distrito de Vila Real, sempre viveu em Lisboa. De um tempo em que os livros era a "brincadeira" preferida de todos os irmãos, cedo ganhou o gosto pela escrita e pelo desenho,  duas coisas que sempre estiveram presentes na sua vida, chamando-os de seus "escrevinhanços" e "rabiscos", respectivamente. Costuma afirmar que há duas coisas de que nunca abdicará: o seu filho e os livros. Aliás, o seu primeiro livro, se tal se, diz a autora, se poderá chamar, nasce de uma parceria com o seu filho, no âmbito das comemorações do 50º aniversário do colégio que ele frequentava.
A internet surge na vida da autora, inicialmente como um lugar de leitura, mais tarde tendo criado diversos espaços e blogues que lhe deram a possibilidade de partilhar a sua escrita. Sobre a sua forma de escrever, diz a autora, que não pensa nas palavras, que as sente nascer algures dentro de si, a dançar, e do modo como as sente as escreve. O presente volume, “Dança de Palavras”, marca, de facto, a sua estreia. Está ligada à editora «UniVersus»
Actualmente é membro de “Confrades da Poesia” – Amora / Portugal
 
Bibliografia:
“A Dança das Palavras”
 
Sites / Blogs.: https://www.facebook.com/m.joselacerda
 

Caminho...caminho...
 
 
Caminhando...
Pela sombra dos meus passos
Penso, faço e desfaço figuras no vento
A cada momento vivido assim...
Caminhando...
Pelo silêncio de mim
Buscando em cada pedaço,
Nas figuras que faço e desfaço
Encontrar os sonhos em mim...
Caminhando....
Eu e os meus passos
Sem rumo, nem destino
Percorrendo um e outro caminho...caminho...
 
 
Maria José Lacerda
 
 
 
 
 
 
Partir...voar...
 
Voar...
Desaparecer...
No tempo...
Sem ter que voltar...
Ir...
E ficar noutro lugar
Aprender do nada
A viver...
No vazio de um novo ser.
Ser outro ser...
Dentro deste ser
Reaprender novas questões
Descobrir novas razões
Para querer...querer.
Partir...
Segredar apenas ao vento
O meu rumo
O meu caminho...
Ausentar-me...
Levar-me...
Ir...
Partir...
Ficar...
Em outro lugar...
Mudar o caminho...
Redifinir o destino...
Não ter que voltar...
A este lugar...
(...e...tudo o mar levou...do lugar onde estou...para aquele onde vou...)
 
 
Maria José Lacerda
 
 
 
...deitada no Sol
 
...seduzida pelo sol
...deito-me com ele
...espalho-o sobre mim
...em gestos sorridentes
...vagorosos, quentes
...preenchida dele
...na pele beijada
...fico deitada
...a beber da sua luz
...num jogo de luzes
...que me seduz
...e a alma traduz
...enfeito-me de sol
...apago todo o sombrio
...prencho o vazio frio
...aquecida, embebida
...esquecida e seduzida
...de alma adormecida
...fico no calor do sol perdida
(...na noite depois da lua adormecer
...com a  madrugada a nascer
...vem o dia o sol aquecer...)
 
 
Maria José Lacerda
Navegando...
 
 
Mergulha em mim
Faz de mim o teu mar
No amar
Faz neste ser...
Nascer
Ondas e marés
Sem areias aos pés...
Faz de mim  barco...
Para navegar
Todas as ondas do teu mar
Num doce cavalgar
Anda...afoita-te
Por mim dentro
Num total navegar
Até teu corpo acabar
No cais do meu aportar
Anda...faz de mim destino...
Sem nexo, sem tino
De um incerto navegar
No todo do meu mar
Faz-te barco aprumado,
De mastro bem levantado...
Navega-me por todo o lado
Neste mar do teu amar...
Cais seguro para aportar
Anda em mim navegar
Faz-te barco deste mar
 
 
Maria José Lacerda
 
 
 
 
 
Contra relógio
 
não fui por aí
fiquei por aqui
nos compassos que o relógio marca
fico longe daí
no todo de mim aqui
salto no tempo
revejo cada momento
sacudo sentidos ao vento
e o tempo ditador
sem parar
sem pudor
não pára no mostrador
do relógio
onde a lógica ilógica de mim
pede o fim
iria por aí
não fui
fiquei por aqui
em mim
comigo
esquecida de ti
aqui onde
me descobri e vivi
sózinha sem ti
na ilógica de mim
sem tempo
no contratempo
ilógico
das horas do relógio
 
 
 
Maria José Lacerda
 
 
 
 
 

"CONFRADES DA POESIA"

www.osconfradesdapoesia.com